Como lidar com excesso de informação e a pressão do dia-a-dia

Como lidar com excesso de informação e a pressão do dia-a-diaDois dos maiores problemas da atualidade são o excesso de informação e a pressão do dia-dia no trabalho. O bom profissional sempre está à procura do aperfeiçoamento, mas hoje, com a facilidade que vem a informação, muitos ficam atordoados, pois não sabem como agir diante de um bombardeio de informações. Então surgem as dúvidas: por onde devo começar? Qual informação deve ser absolvida e qual não vai agregar conhecimento algum?

 

Está fazendo alguma tarefa e não quer parar para ler? Então utilize o player abaixo para escutar o áudio deste post.

 

 

As televisões, smartphones e computadores, são os principais meios de comunicação e transmissão de informações atualmente, porém muitas são desnecessárias. Então se você está se identificando com esse post, é bem provável que não saiba controlar e filtrar as informações que recebe e esteja passando por dificuldades nesse momento. Mas você não é o único, esse problema atinge boa parte da população.

 

No livro, A mente organizada, de Daniel Levitin, também neurocientista e professor universitário, o autor dá dicas de como agir diante do excesso de dados. Veja algumas delas:

 

  • Reduza a quantidade de conteúdo desnecessário que você consome.
  • Dê prioridade ao que tem que ser feito e que vai lhe proporcionar resultados significativos.
  • Reserve tempo para aprender coisas novas na internet, mas não faça isso todas as vezes que se sentir entediado.
  • Aprender leva tempo, por isso respeite a sua capacidade de absolvição. Nós conseguimos prestar atenção em uma ou duas coisas ao mesmo tempo. Mas, depois de compreender algo, não existe limite para ser armazenado em sua memória de longo prazo.
  • Você não é obrigado a saber sobre tudo e não precisa entender cada detalhe do que está acontecendo. Não encha a cabeça de coisas que você não precisa saber.

 

O excesso de informação está atrelado ao outro problema, a fragilidade do profissional em lidar com a pressão do dia-a-dia. Mas definir a pressão como problema vai depender do ponto de vista de cada um. Vou explicar o porquê. Algumas pessoas quando se sentem pressionadas entendem isso como um desafio ou uma forma de aprendizado, encararam as adversidades e se aperfeiçoam pessoal e profissionalmente diante deles.

 

Evitar as crises e adversidades que o trabalho apresenta, em um primeiro momento parece o melhor caminho, porém não é a melhor opção para seu desenvolvimento. O medo de falhar faz parte do ser humano, e até certo ponto ele é bom, pois serve para te alertar, mas isso não deve camuflar suas vulnerabilidades, então enfrente-o. Sem crises, adversidades, desordem e estresse é impossível evoluir. Como disse Dalai Lama: O período de maior ganho de conhecimento e experiência é o período de maior dificuldade na vida de cada um.

 

No livro Antifrágil: coisas que se beneficiam com o caos, de Nassim Nicholas Taleb, o autor explica esse conceito criado por ele que, resumidamente, diz que o antifrágil, oposto de frágil, é algo que melhora quando está diante de uma situação inesperada.

 

No atual cenário que vivemos, somos testados diariamente, principalmente no trabalho, e aqueles que não resistem ou se acovardam diante das adversidades inesperadas do cotidiano ficam para trás, e você, que consegue absolver o conceito de antifragilidade, será um vitorioso, segundo o autor.

 

Uma característica do antifragil é que ao invés dele só fazer um planejamento antecipado com risco e prevenção para crises, ele também é consciente que existe a possibilidade que fatores externos que não foram planejados ocorram, e quando ocorrem, está preparado para encara-los com naturalidade, portanto não se acovardam ou se desesperam, buscando sempre o auto aperfeiçoamento.

 

Do mesmo jeito que nós podemos ser frágeis, as promotoras também podem. Então analisar suas fraquezas através de uma análise swot é uma ótima forma de saber como aplicar esse belo conceito. Veja também algumas dicas:

 

  • Não deixe de agir por temer a ocorrência de erros com riscos menores.
  • Estude sobre crises parecidas com as quais você está passando para saber como agir.
  • Aplique o conhecimento existente.
  • Desconfie quando tudo caminha bem e fácil demais.
  • Não adie os seus problemas. Encare-os e leve o aprendizado consigo nos futuros projetos.

 

Se você gostou desta postagem, compartilhe nosso blog com amigos e corretores da sua equipe e deixe seu comentário aqui.

 

Sobre o autor: